Programa FRESAN

Financiado pela União Europeia (UE), implementado em parceria com o Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, o FRESAN tem enfoque no fortalecimento da agricultura familiar sustentável, na melhoria da situação nutricional da população, no acesso a água, na adaptação às alterações climáticas, no reforço dos sistemas de informação sobre segurança alimentar e nutricional, e no apoio ao desenvolvimento de capacidade nas instituições.

A União Europeia financiou o FRESAN – Fortalecimento da Resiliência e da Segurança Alimentar e Nutricional em Angola com 65 milhões de euros para o período entre 2018 e 2024. Trata-se de uma iniciativa conjunta com o Governo angolano para reduzir a fome, pobreza e vulnerabilidade das comunidades afectadas pela seca no sul do país, nas províncias do Cunene, da Huíla e do Namibe.

Ao longo de mais de 30 anos de cooperação, a UE permanece o maior doador em Angola, apoiando o desenvolvimento da nação através do financiamento de projectos nos mais diversos sectores de actividade.

O Programa FRESAN, fundamental para os esforços de combate à pobreza e de reforço da segurança alimentar que o Governo angolano tem vindo a realizar, visa fortalecer a agricultura familiar sustentável nas províncias do Cunene, Huíla e Namibe.

Para tal adopta uma abordagem holística baseada em quatro componentes interligadas que permita abordar as causas da insegurança alimentar e nutricional e a vulnerabilidade das populações do Sul de Angola mais afectadas pelas alterações climáticas, bem como lacunas institucionais aos níveis central e regional.