Grandes projectos são feitos com grandes pessoas: consulte aqui as oportunidades.

Grandes projectos são feitos com grandes pessoas: consulte aqui as oportunidades.

Gestão de risco de desastres

Fortalecer a capacidade e as competências das autoridades locais para fazer face a eventos climatéricos extremos como seca ou cheias, e aumentar a resiliência das comunidades rurais.

 

No Sul de Angola o elevado nível de vulnerabilidade, combinado com a variabilidade climática caracterizada por períodos de falta ou excesso de chuva, resultam numa situação de catástrofe quase permanente, ou num ciclo de secas e episódios de cheias na região. Panorama potenciado pelas alterações climáticas, que exacerbam a situação crónica de risco de desastre.

O FRESAN está a formar capital humano na gestão de risco de desastres (GDR) e a promover a mudança do cenário de catástrofe que quase se vive no Sul de Angola.

João Neves, gestor de projecto FRESAN no PNUD – Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento

Criação de um sistema de prevenção

No final de 2019 a União Europeia doou 3,4 milhões de euros para reforçar a gestão de risco de desastres nas três províncias do Sul de Angola mais atingidas pela seca severa: Cunene, Huíla, Namibe.

Neste quadro, o PNUD – Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento tem a seu cargo a criação de um sistema de prevenção de desastres naturais dentro das componentes I e III FRESAN. Tal envolve promover o estabelecimento e fortalecer os mecanismos interinstitucionais de vários níveis para gestão de risco de desastres (GRD); desenvolver e implementar um sistema de informação de risco e sistema de alerta precoce para GRD; fortalecer a capacidade e competências das administrações provinciais e serviços de extensão nas áreas de mudanças climáticas e resiliência; formar, em cooperação com organismos europeus semelhantes, os serviços de Protecção Civil em acções de reacção e recuperação em caso de catástrofes ambientais.

O objectivo é apoiar as instituições responsáveis pela gestão de risco de desastres nas três províncias, capacitando a protecção civil com equipamento e formação.

Capacitar as autoridades locais

O PNUD é assim responsável pela implementação do Fortalecimento das Estruturas e Capacidades Institucionais de Gestão de Risco de Desastres.

Este projecto – em que a estratégia de GRD e os mecanismos de coordenação interinstitucional são implementados pelas autoridades locais competentes – visa a prossecução de dois resultados a nível nacional e a descentralização nas três províncias: promover o estabelecimento e fortalecer os mecanismos interinstitucionais multinível para a GRD; desenvolver e implementar um Sistema de Informação de Risco (SIR) e um Sistema de Aviso Prévio (SAP) de GRD.