Inovação na Estação Zootécnica do Namibe alimenta gado durante a seca

A produção dos primeiros fardos cilíndricos de 200 quilos na Estação Zootécnica da Cacanda (EZC), no Namibe, decorreu entre 18 e 22 de Julho. Esta inovação da intervenção FRESAN/Camões, I.P., em parceria com o Instituto de Investigação Veterinária (IIV), vai permitir apoiar a alimentação do gado nas rotas de transumância durante o período de seca.

Para Luís Bié, chefe de departamento no Instituto dos Serviços de Veterinária (ISV), “esta é uma iniciativa de grande valia, porque no Namibe não chove praticamente nada há quase dois anos. Então, a ideia é pegar nestes fardos e colocá-los em rotas de transumância para acudir o gado que está emagrecido por falta de pasto”. Paulo António, chefe da Estação Zootécnica da Cacanda, adianta que “o enfardamento do feno é um momento marcante para a EZC porque nunca se tinha produzido fardos em rolo, cilíndricos. No passado, produzimos paralelepípedos de fardos de 15 quilos.” João Guerreiro, perito agrário na Unidade de Implementação do FRESAN/Camões, I.P. no âmbito do apoio prestado à EZC, explica que, por um lado, foi reabilitado o sistema de rega existente, o parque de máquinas foi reforçado com uma gadanheira condicionadora e enfardadeira de fardos cilíndricos, e foi instalado um carregador frontal com forquilha num dos tractores existentes para movimentação dos fardos; por outro lado, foram ainda instaladas parcelas com espécies forrageiras e capacitados os técnicos para a produção de forragem. “Adensámos a pastagem que já lá estava, introduzimos duas novas espécies e dia 22 de julho produzimos os primeiros fardos”, conta João Guerreiro.

A inovação introduzida na produção desta tipologia de fardos vem permitir o aumento do volume e a melhoria da qualidade da forragem obtida. O próximo passo envolve identificar pontos de distribuição de feno por parte das administrações para que se possa garantir a subsistência do gado em períodos de carência alimentar.

Data: 2 de Agosto de 2022