Grandes projectos são feitos com grandes pessoas: consulte aqui as oportunidades.

Grandes projectos são feitos com grandes pessoas: consulte aqui as oportunidades.

União Europeia une esforços com Governo de Angola, via FRESAN, na implementação de Escolas de Campo de Agricultores na Huíla e no Cunene

No início de Maio o FRESAN esteve no terreno nas províncias da Huíla e do Cunene, onde Escolas de Campo de Agricultores (ECA) receberam da União Europeia os respectivos Fundos de Arranque, para poderem reforçar a resiliência alimentar e nutricional junto das comunidades locais.
A 2 de Maio deu-se o arranque oficial da ECA Mulheres do Jau, num evento municipal na Chibia, província da Huíla, no âmbito do FRESAN/FAO – Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura. A iniciativa contou com a presença da embaixadora da União Europeia em Angola, Jeannette Seppen; a representante máxima da FAO em Angola, Gherda Barreto; a coordenadora geral do Camões, I.P., Patrícia Carvalho; representação do Governo Provincial da Huíla; bem como de organizações da sociedade civil, parceiros, detentores de interesse e autoridades tradicionais.
Dez dias depois, a 12 de Maio, foi dado o arranque oficial da ECA Otchana Tchehupilo na comuna de Onkombo 2, município da Cahama, província do Cunene. Também este evento teve a participação da embaixadora em Angola, Jeannette Seppen, e da representante máxima da FAO em Angola, Gherda Barreto; assim como de representantes do Ministério da Agricultura e Pescas (MINAGRIP), do Instituto de Desenvolvimento Agrário (IDA), do Governo Provincial do Cunene, e da Administração Municipal da Cahama.
Estas duas ECA incluem-se nas 225 a implementar pela FAO nas províncias do Cunene, da Huíla e do Namibe no âmbito do Programa FRESAN, financiado pela União Europeia.
A ECA Otchana Tchehupilo, constituída por 60 mulheres e cinco homens, numa área de 2 hectares, está a implementar a nova metodologia “xitaca”, com uma abordagem agroecológica integrada e sustentável. A representante da FAO em Angola, Gherda Barreto, explicou que “as ECA-Xitacas são parte de uma inovação implementada no quadro da componente da FAO do Programa FRESAN”, adiantando que “este sistema é considerado inovador por integrar na sua estrutura produção agroecológica, sustentável e amiga do ambiente, pois tem como base o não-uso de produtos químicos, o uso de recursos locais, e a implementação de um sistema de irrigação gota-a-gota apoiado por bombas com painéis solares”. As principais práticas agroecológicas “são o estabelecimento de áreas de preparação de compostagem, de biocidas e de multiplicação de sementes, bem como criação de pequenos animais domésticos”. As ECA-Xitacas vão ser implementadas como uma estratégia para acelerar o processo de formação dos agricultores familiares e abordar questões imediatas de segurança alimentar e nutricional. O sistema de irrigação da ECA é garantido com a captação de água de um rio próximo, o que permite a produção de hortícolas como o tomate e a beringela, que os agricultores locais não produziam até agora. “Antes comprávamos estes produtos no mercado, mas no futuro pretendemos produzir quantidade suficiente para alimentar as nossas famílias, e comercializar os excedentes”, afirmou a jovem camponesa e líder da ECA, Eva Maquemba.
A embaixadora da União Europeia em Angola, Jeannette Seppen, deu “os parabéns a todas as mamãs: como conseguiram transformar este sítio em algo muito mais verde, contribuir para a vossa segurança alimentar, a vossa nutrição. É isto que todas as mamãs, papás e crianças na Europa querem ver: que a contribuição da União Europeia, em conjunto com os parceiros FRESAN, com a colaboração e parceria com o Governo de Angola – seja nacional, seja local –, se transforme num sucesso”. Mais: “sabemos muito bem que os desafios são grandes, não são desafios de hoje, e talvez não vamos encontrar a solução hoje, mas vemos que estamos a caminho para um hoje e um amanhã melhores. Estamos juntas. Estamos juntos, para oferecer um futuro melhor a todas as crianças que vejo ao colo das mamãs”.

Nota:
As ECA – Escolas de Campo de Agricultores enquadram-se na implementação da componente FRESAN-FAO, e visam promover a resiliência alimentar e nutricional de forma integrada com pequenos agricultores. A construção de escolas de campo no Sul de Angola permite aos camponeses conhecerem melhor as técnicas a utilizar para obterem uma melhor produção agrícola, mais adaptada às alterações climáticas e consequente seca.
Um dos primeiros passos das ECA envolveu a formação dos técnicos do Instituto de Desenvolvimento Agrário (IDA) e do Instituto de Segurança Veterinária (ISV) sobre a metodologia ECA, que se tornaram formadores-mestres, ou master trainers.
Igualmente foram criadas cozinhas comunitárias nas populações para a confecção de alimentos e assim atender as pessoas mais vulneráveis, com maior destaque para as crianças, e onde, por meio de formação, se reforçam conhecimentos sobre alimentação saudável, bem como a partilha de informação sobre nutrição.

Data: 20 de Maio de 2022

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *