“Serei o facilitador, o elo entre os serviços veterinários e a minha comunidade”, Kusso Dianzenza

Kusso Dianzenza nasceu há 58 anos no município da Damba, província do Uíge. Viúvo e pai de quatro filhos, vive há três décadas na comuna da Chibemba, município dos Gambos, na província da Huíla, e há 26 anos que zela pela saúde dos animais na comunidade. Kusso é um dos 160 tratadores de gado que participaram na acção de capacitação coordenada pelo Instituto dos Serviços de Veterinária (ISV). O objectivo desta formação é fomentar o acesso a cuidados veterinários e contribuir para o aumento da produção animal enquanto estratégia de promoção da segurança alimentar. A formação – apoiada pelo Programa FRESAN (financiado pela União Europeia e co-gerido pelo Camões, I.P.) – capacitou 160 tratadores de gado entre 14 e 25 de Fevereiro em oito municípios nas províncias do Cunene, da Huíla e do Namibe.

Costureiro de profissão, Kusso Dianzenza tornou-se tratador de gado numa altura em que a morte massiva de bovinos e caprinos inquietava as populações das comunas no município dos Gambos. “Preocupada com a situação, a administração municipal convocou-nos para uma formação de agentes rurais de veterinária”, explica Kusso.

Os tratadores de gado têm um papel fundamental na prestação de cuidados primários de saúde animal e na articulação com os serviços de veterinária. Seleccionados nas comunidades locais, vigiam, prestam cuidados de saúde e apoiam a produção animal junto dos criadores. Devido à vastidão do território das províncias e à dificuldade de aceder a serviços centralizados, a assistência veterinária de proximidade tem, assim, um impacto directo no acesso a serviços veterinários e na redução de custos para os criadores tradicionais de gado.

Exercendo a profissão há quase três décadas, Kusso Dianzenza revela que ainda encontra alguma resistência na sua comunidade, pois há criadores de gado que preferem tratar os animais sem ajuda. “Depois desta formação, usarei os melhores argumentos para levar os criadores da comunidade a aderirem ao nosso trabalho e à campanha de vacinação animal” que começou em Março, garante o tratador. Durante os cinco dias de formação os tratadores de gado aprofundaram conhecimentos sobre saúde e bem-estar animal, incluindo estratégias para aconselhamento a criadores, prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças, utilização de medicamentos e vacinação de animais.

Consciente da importância do seu contributo para a promoção da segurança alimentar e do desenvolvimento socioeconómico da sua comunidade, Kusso Dianzenza afirma estar agora melhor preparado para ajudar os criadores locais e os serviços veterinários, bem como as autoridades locais. “A formação tem sido proveitosa, aprendemos como fazer a inspecção dos animais, a identificar as doenças e tratá-las com eficácia”, refere, satisfeito.

Os tratadores de gado têm ainda como missão apoiar as campanhas de vacinação, ao ajudar os criadores locais na disponibilização de informação, administração de vacinas e na articulação com os serviços de veterinária. Para poderem implementar as actividades de vigilância e de tratamento dos animais, bem como apoiar as campanhas de vacinação animal, os formandos receberam kits veterinários.

Kusso Dianzenza está agora pronto para apoiar a campanha de vacinação 2022. A iniciativa coordenada pelo Instituto dos Serviços de Veterinária conta com a colaboração de tratadores de gado como Kusso, com o objectivo de reforçar as medidas de sanidade animal nas províncias do Cunene, da Huíla e do Namibe. “Com o que aprendi, darei um melhor tratamento aos animais, aconselharei os criadores a prevenir doenças, ajudarei os serviços veterinários nas campanhas de vacinação, ou seja, serei o facilitador, o elo entre os serviços veterinários e a minha comunidade”, conclui.

Data: 13 de Abril de 2022