FRESAN fornece maquinaria à Estação Experimental Agrícola do Namibe

A Estação Experimental Agrícola do Namibe (EEAN) recebeu equipamento agrícola no âmbito do FRESAN – Fortalecimento da Resiliência e da Segurança Alimentar e Nutricional em Angola (financiado pela União Europeia e co-gerido pelo Camões, I.P.). A entrega decorreu esta quinta-feira, 24 de Fevereiro, nas instalações da EEAN no município de Moçâmedes, Namibe. O evento contou com a presença de entidades do governo provincial do Namibe, de representantes do gabinete provincial de agricultura e do Instituto de Investigação Agronómica de Angola (IIA), bem como de parceiros institucionais do Programa FRESAN.

O FRESAN/Camões I.P entregou à EEAN um tractor de 75 cv de potência, um semeador pneumático de precisão, um pulverizador de 600 litros, um chisel/cultivador com 8 braços, uma debulhadora fixa de milho, entre outros. Esta maquinaria vai reforçar as capacidades técnicas da Estação Experimental Agrícola do Namibe na produção de sementes adequadas às necessidades e às condições locais, e no apoio aos agricultores familiares. Este equipamento facilita o aproveitamento de sementes básicas disponíveis na EEAN das espécies massango, massambala, batata-doce e feijão macunde (feijão-frade), assim como a sua replicação para distribuição de sementes e de propágulos a camponeses do Sul de Angola que praticam agricultura familiar.

O Programa FRESAN, considerando a existência de recursos naturais com potencial, aposta na capacitação de instituições públicas de investigação agrária e veterinária para aumentar o conhecimento sobre variedades de espécies agrícolas, com adaptação e elevado potencial genético de produção. A Estação Experimental Agrícola do Namibe é um serviço executivo local do Instituto de Investigação Agronómica (IIA) que tem como objectivo produzir conhecimento para apoiar a produção, a multiplicação e o melhoramento de sementes adaptadas às condições naturais extremas. Estas sementes são posteriormente distribuídas a produtores com o intuito de fortalecer a segurança nutricional e o reforço da resiliência dos agricultores familiares no Sul de Angola.

Neste sentido, após a realização do levantamento de necessidades, foi assinado um memorando de entendimento entre o Camões, I.P. e o IIA prevendo um apoio total à EEAN na ordem de 400 mil euros. Nesta primeira fase foi entregue equipamento agrícola à EEAN, no valor de 100 mil euros, e prevê-se o reforço das capacidades técnicas da EEAN na gestão do inventário, bem como na formação em mecânica agrícola, de forma a aumentar a durabilidade e o bom funcionamento da maquinaria entregue.

Presente no evento, Maísa Tavares, vice-governadora do Namibe para o Sector Político, Económico e Social, afirmou que esta iniciativa vai “trazer uma grande valia para o sector da agricultura na nossa província. Contamos com todos os integrantes que colaboram nesta estação para que dentro de pouco tempo possamos começar a ver resultados do investimento que está a ser feito. Também apelamos à conservação do equipamento entregue e que acompanhemos o projecto e nos apropriemos do mesmo para dar continuidade e garantir a sua sustentabilidade”. Para Maísa Tavares, este “é um projecto estruturante do ponto de vista da segurança alimentar, um tema que hoje nos aflige enquanto província e enquanto região sul”. Acrescentou que “contamos com o FRESAN – sendo um programa integrado que actua nas áreas de agricultura, pecuária e nutrição –, e temos grande expectativa, para que a médio e longo prazo possamos criar esta resiliência que tanta falta nos faz para conseguirmos sobreviver e viver/conviver com este fenómeno natural que é a seca, e outros desafios que a natureza nos impõe. É muito importante que estejamos em condições de reagir e construir soluções que durem e venham trazer um grande alívio para a questão da segurança alimentar em toda a nossa província”.

Marcos dos Santos, director da EEAN, salientou na cerimónia de entrega do equipamento agrícola que o projecto “é financiado pela União Europeia, e que a EEAN tem um papel importante na produção, multiplicação e melhoramento de sementes adaptadas às condições extremas”. Adiantou que “este apoio da União Europeia envolve o financiamento de máquinas agrícolas num valor estimado de 100 mil euros para o reforço das capacidades técnicas” da EEAN. Isto para que a estação “possa cumprir com a sua missão de garantir a geração de novas tecnologias agrícolas para melhorar os resultados dos produtores familiares, e não só, no Sul de Angola.”

Patrícia Carvalho, coordenadora geral do FRESAN no Camões, I.P., fez um enquadramento do Programa FRESAN: “co-gerido pelo Camões I.P, pela cooperação portuguesa, está a ser implementado em três províncias do Sul de Angola: Cunene, Huíla e o Namibe. Temos já vários progressos, no âmbito da agricultura e da pecuária” familiares. Acrescentou que “estão já instaladas nas três províncias 138 ECA – Escolas de Campo Agrícolas, com o cultivo de cerca de 121 hectares de terra; e foram abrangidos à volta de 7 mil agricultores. No âmbito da melhoria e do acesso à água, foram instaladas 147 infra-estruturas hidráulicas para consumo humano e animal, e também sistemas de regadio”. No que diz respeito à melhoria da nutrição nas províncias, a coordenadora destacou a formação de cerca de 300 profissionais de saúde, como enfermeiros e médicos. Patrícia Carvalho referiu que uma das grandes componentes do FRESAN se foca “no reforço institucional e nesta implementação conjunta do Programa com os institutos públicos, com os governos provinciais, com o Governo de Angola no geral”. E é neste contexto que se insere “o apoio à EEAN, que surge de um levantamento de necessidades feito com o IIA. E a identificação desta estação e do apoio à mesma é central, uma vez que é a única estação experimental que se localiza na região do semiárido. Estamos muito contentes pelo primeiro grande resultado que estamos a partilhar com a EEAN, com o governo provincial e com o IIA: a entrega de equipamentos para avançarmos em conjunto, numa lógica de capacitação, com os ensaios e o desenvolvimento de investigação para a identificação de sementes mais adaptadas ao semiárido; e a estação ter um contributo estrutural na disponibilidade de factores de produção agrícola para o Sul de Angola”. Esta é uma das etapas do apoio: outras já estão em curso, e “passam pela instalação de um sistema de rega que permita aumentar a capacidade da EEAN. Iremos dar seguimento à aquisição de outros equipamentos, como arcas frigoríficas que vão permitir a conservação de sementes e apoiar todo o processo de distribuição e de acesso às sementes pelas populações mais vulneráveis”. Para finalizar, “um dos apoios estruturais à EEAN é sua a capacitação na gestão, metodologias de investigação e na mecânica agrícola, que irá contribuir para a manutenção e bom uso destes equipamentos” agora entregues pelo FRESAN/Camões, I.P. à Estação Experimental Agrícola do Namibe.

Data: 25 de Fevereiro de 2022