FRESAN apoiou workshop sobre dados de inquérito à vulnerabilidade e segurança alimentar e nutricional no Cunene, Huíla e Namibe

Camões, I.P., 19-07-2021

O Programa FRESAN – Fortalecimento da Resiliência e da Segurança Alimentar e Nutricional em Angola, financiado pela União Europeia e co-gerido pelo Camões, I.P., apoiou o workshop “Integrated Food Security Phase Classification” (IPC), que decorreu de 5 a 16 de Julho em simultâneo nas províncias do Cunene, da Huíla e do Namibe. O workshop realizou-se com o objectivo de analisar e validar os dados recolhidos no inquérito de Avaliação e Análise da Vulnerabilidade e da Segurança Alimentar e Nutricional (AVSAN) e da Análise e Medição do Índice de Resiliência (RIMA), implementado pelo Departamento de Segurança Alimentar (DSA) de Angola. E, visou ainda, gerar informação para a criação de estratégias de reforço da resiliência das famílias rurais vulneráveis nas três províncias de intervenção do FRESAN. O workshop IPC é mais uma etapa no processo para aprofundar o conhecimento sobre a segurança alimentar, vulnerabilidade e resiliência das comunidades rurais no sul do país.

O inquérito AVSAN e RIMA foi implementado entre Março e Maio de 2021 em 17 municípios, 57 comunas, 442 aldeias e mais de 7000 agregados familiares nas províncias do Cunene, da Huíla e do Namibe. Após a recolha de dados são feitas a análise e a validação dos mesmos. A metodologia IPC propõe uma classificação da desnutrição em cinco fases (mínima, stress, crise, emergência e fome), permitindo a extrapolação de dados para o nível provincial e regiões abrangidas pelo FRESAN. Ao adoptar esta metodologia, a República de Angola está a assegurar, através do DSA, a monitorização da evolução da Segurança Alimentar e Nutrição (SAN) e da vulnerabilidade no país, por província e ao longo do tempo, tendo em vista a geração de informação essencial que irá apoiar a tomada de decisão de estratégias para o reforço da resiliência das famílias rurais vulneráveis nas províncias de intervenção do FRESAN.

Para a realização do workshop em cada província foram criados dois grupos de trabalho que se dedicaram à análise da Segurança Alimentar e da Nutrição. Numa primeira fase, entre 5 e 10 de Julho, os grupos receberam formação em Classificação Integrada de Segurança Alimentar e Nutrição. Posteriormente, entre 12 e 16 de Julho, procederam à análise de dados e produziram o relatório IPC. O workshop contou com a participação de técnicos de níveis central, provincial e municipal, que trabalharam em equipas multidisciplinares: DSA; MINSA (Ministério da Saúde de Angola); MASFAMU (Ministério da Acção Social, Família e Promoção da Mulher); Casa Civil da Presidência; Governos Provinciais; Gabinetes Provinciais da Agricultura, Pescas e Saúde; Administrações Municipais e Protecção Civil. Esta actividade foi implementada e coordenada pelo DSA do MINAGRIP (Ministério da Agricultura e Pescas) e em estreita colaboração com os Gabinetes Provinciais da Agricultura e Saúde das três províncias.

O workshop IPC surge integrado no Programa FRESAN, implementado pelo Camões, I.P. e pela FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura), com o apoio técnico do Programa Alimentar Mundial (PAM) e da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) ao DSA na inovação da metodologia na realização de inquéritos através da utilização da abordagem IPC, que resulta de uma parceria entre várias organizações a nível global, regional e nacional, dedicadas a assegurar a qualidade da análise da Segurança Alimentar e Nutricional e a sua comparabilidade entre países.