União Europeia financia vacinação de 1,4 milhões de bovinos no Sul do País

No âmbito do Programa de Fortalecimento da Resiliência e da Segurança Alimentar e Nutricional em Angola, a União Europeia vai imunizar em três meses cerca de 1,5 milhões de efectivos bovinos do Sul de Angola.

O programa FRESAN, co-gerido pelo Instituto Camões e financiado pela União Europeia (UE), suporta a Campanha de Vacinação Bovina 2021 em três províncias do País, abrangendo 1,4 milhões de animais, com cerca de 59 mil euros. De acordo com uma nota do FRESAN -Programa de Fortalecimento da Resiliência e da Segurança Alimentar e Nutricional em Angola, está prevista a vacinação de 200 mil bovinos na província do Namibe, 650 mil no Cunene e 560.200 na Huíla.

A campanha arrancou no dia 17 de Março na Huíla, com a duração de 90 dias, seguindo-se o Namibe no dia 30 de Abril, com a duração de 60 dias, e no Cunene no dia 26 de Maio, durante 90 dias. O programa tem por objectivo apoiar o reforço das medidas de sanidade animal, através da vacinação de 1.410.200 bovinos em 17 municípios de intervenção do FRESAN, salienta a nota, avançando que a sua intervenção é, sobretudo, na aquisição de equipamentos para o armazenamento e conservação das vacinas, de forma a garantir uma rede de frio que salvaguarde as características iniciais para assegurar a imunidade.

O Instituto de Serviços de Veterinária (ISV) lidera a campanha de vacinação, que visa também melhorar a sanidade animal no Sul de Angola, por meio da erradicação das principais doenças transfronteiriças. O FRESAN identificou problemas na rede de frio, no que se refere ao transporte e ao manuseamento adequado das vacinas, em condições que salvaguardem a qualidade e eficácia imunobiológica. “Identificada a necessidade, procedeu-se à análise do circuito, considerando o armazenamento nas instalações do ISV de cada província, os equipamentos disponíveis a nível do armazenamento municipal e, finalmente, os equipamentos para o transporte e conservação durante o acto de vacinação nas mangas”, salienta a nota.

Neste sentido, o FRESAN apoiou a campanha com a aquisição de duas câmaras de frio de 20 pés; a distribuição de 32 arcas frigoríficas e 64 garrafas de gás para a conservação a nível municipal; 46 caixas térmicas de 15 litros e 11 de 26 litros, para as brigadas de vacinadores transportarem as vacinas para as mangas; 257 fatos de trabalho para tratadores de gado; a reparação de três câmaras frigoríficas para armazenamento provincial; a manutenção de 10 viaturas da frota do ISV; e 88 acumuladores. Na campanha estão envolvidos 50 técnicos do ISV e 328 tratadores de gado eleitos pelas comunidades, capacitados para prestar serviços de apoio ao ISV, para a realização da campanha de vacinação. “O programa FRESAN reconhece que o aumento da produção interna de proteína animal depende, em grande medida, de programas profilácticos de prevenção do surgimento de doenças”, descreve a nota.

Fonte: Novo Jornal (04/06/2021)