Campanha de vacinação para 1.410.200 bovinos

Nilo Mateus

A campanha de vacinação que decorre no Sul do país, com o intuito de reforçar as medidas de sanidade animal, prevê imunizar 1.410.200 cabeças de gado bovino, em 17 municípios das províncias do Cunene, Huíla e Namibe. Os dados constam em um comunicado de imprensa chegado, ontem, à nossa redacção, que dá conta que a campanha é financiada pelo Programa FRESAN (Fortalecimento da Resiliência e da Segurança Alimentar e Nutricional em Angola), cogerido pelo Camões I.P. e financiado pela União Europeia, através da aquisição de equipamentos para o armazenamento e conservação das vacinas, de forma a garantir uma rede de frio que permita salvaguardar as características iniciais, para assegurar a imunidade. A campanha, liderada pelo Instituto de Serviços de Veterinária (ISV), visa melhorar a sanidade animal no Sul de Angola, através da erradicação das principais doenças transfronteiriças.

A garantia de uma Rede de Frio que permita o transporte e manuseamento adequado das vacinas em condições que salvaguardem a qualidade e eficácia imunobiológica, uma vez que são produtos sensíveis à variações de temperaturas inadequadas à sua conservação, foi o desafio identificado pelo Programa FRESAN, em articulação com os Serviços de Veterinária provinciais. As vacinas são armazenadas em instalações do ISV de cada província, bem como os equipamentos para o transporte e conservação durante o acto de vacinação nas mangas. O Programa FRESAN, acrescenta a nota de imprensa, reforçou a campanha com a aquisição de equipamentos que garantam o armazenamento e conservação de vacinas, nomeadamente duas câmaras de frio de vinte pés, distribuição de 32 arcas frigoríficas e 64 garrafas de gás para a conservação ao nível municipal, 4 6 caixas térmicas de 15L e 11 de 26L, para as brigadas de vacinadores transportarem as vacinas para as mangas.

Foram, também, adquiridos 257 fatos de trabalho para tratadores de gado, bem como reparadas três câmaras frigoríficas para armazenamento provincial e manutenção de dez viaturas da frota do ISV e 88 acumuladores. Estão envolvidos na campanha 50 técnicos do ISV e 328 tratadores de gado eleitos pelas comunidades, capacitados para prestar serviços de apoio ao ISV. O programa FRESAN reconhece que o aumento da produção interna de proteína animal depende, em grande medida, de programas profiláticos de prevenção do surgimento de doenças, sendo a vacinação dos efectivos bovinos pertencentes aos pastores familiares de particular importância, para a promoção da segurança alimentar.

A campanha de vacinação obrigatória abarca quatro doenças endémicas no efectivo bovino do país: peripneumonia contagiosa dos bovinos, carbúnculo hemático, carbúnculo sintomático e dermatite nodular. O apoio à campanha de vacinação bovina 2021 ronda os 59 mil euros, prevendo-se a vacinação de 200.000 bovinos na província do Namibe, 650.000 na província do Cunene e 560.200 na província da Huíla. No Namibe terá a duração de 60 dias, na Huíla de 90 dias e no Cunene, também, de 90 dias. Na província da Huíla, a campanha de vacinação teve início no dia 17 de Março e no Namibe no dia 30 de Abril. No Cunene a campanha começou no dia 26 de Maio.

A União Europeia financia o Programa FRESAN – Fortalecimento da Resiliência e da Segurança Alimentar e Nutricional em Angola com 65 milhões de euros entre 2018 e 2024. Esta é uma iniciativa conjunta com o Governo angolano para reduzir a fome, pobreza e vulnerabilidade das comunidades afectadas pela seca nas províncias do Cunene, da Huíla e do Namibe, no Sul de Angola. Ao longo de mais de 30 anos de cooperação, a União Europeia manteve – se o maior doador em Angola e apoia o desenvolvimento do país através do financiamento de projectos nos mais diversos sectores de actividade. O combate à pobreza e a protecção do meio ambiente são prioridades da União Europeia na cooperação com os países terceiros.

Fonte: Jornal de Angola (02/06/2021)