União Europeia aprofunda parceria com Angola

Lubango – A União Europeia (UE) pretende aprofundar a parceria com Angola nos domínios político e sócio-económico, para o reforço do bem-estar das comunidades locais.

A intenção foi manifestada, hoje (segunda-feira), pela embaixadora da União Europeia (UE) em Angola, Jeannette Seppen, em declarações à imprensa, após um encontro com o governador da Huíla, Luís Nunes.

O encontro enquadra-se na visita, de dois dias, que a diplomata efectua a esta região, sul do país, para avaliar a implementação dos projectos, a nível local, com financiamento da UE.

Dos projectos financiados está em curso o de Fortalecimento da Resiliência e da Segurança Alimentar e Nutricional em Angola (FRESAN ),  implementado pelo Instituto Camões, de Portugal.  

As acções, em curso nos municípios da Humpata e Gambos, têm a ver com a construção de cem reservatórios de água para os habitantes e 25 bebedouros para os animais, para mitigar os efeitos da seca.

Os projectos têm um prazo de implementação de 31 meses. Destinam-se, também, às comunas de Chiange, Rio d´Areia, Tunda dos Gambos e Humpata para a irrigação agrícola.

O programa está orçados em 1.499.983 de euros, sendo 1.349.985 subvencionados pela UE, através do FRESAN, e 149.998 euros pela ONG norueguesa “Norwegian  Church Aid” (NCA),  em execução pela  ADRA.

Jeanntte Seppen disse tratar-se de  um programa vasto,  passando agora a ter uma intervenção com o foco nas questões climáticas.

Indicou que a UE elege o diálogo nesta parceria, como a melhor ferramenta para se aferir  quais são as necessidades, problemas e desafios, de modo a se trabalhar  juntos para o alcance dos objectivos.

Governador enaltece projectos  

Por sua vez o governador provincial, Luís Nunes, destacou a colaboração da UE, o que permitiu a Huíla beneficiar de mais de 90 projectos sociais.

Destes, destacou o FRESAN, o de Revitalização do Ensino Técnico e da Formação Profissional de Angola (RETFOP), Programa Renascer com Registo, bem como os projectos Justiça para as Crianças e Água para as populações.

Fonte: ANGOP (18/01/2021)